terça-feira, 29 de junho de 2010

Dilema

Na encruzilhada do Mac Donalds
uma marmita de feijoda repousa como um ebó

E eu, sigo só... Observando a mandinga da sociedade industrial

Eu e minhas lumbrigas 
travando as famélicas brigas do estômago cultural

O poema traz o dilema, 
mas não preenche o vazio

Abemos chester,
pois de certo o problema esta no cio! 


2 comentários:

Tatiana Monte disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tatiana Monte disse...

"Vai desabar água vai desabar" pra lavar o que tem de limpar
Vai desabar água e é pro nosso bem!
Depois quando o sol quarar, será hora de estender nos varais os poemas que os lençóis suados escreveram dias atrás
Vai desabar e é pro nosso Bem!

Vai desabar algodão vai!
Gero Camilo

O maestro organiza as últimas músicas desse conserto....-fio dental de cego é relâmpago passa entre as nuvens-...
quero saber de verdade como você que está do outro lado está
Mande notícias, por que as coisas aqui na Terra anda normal, ainda é o futebol, a Copa a Várzea e com a alma? como anda ? a alma?

Vai desabar água, algodão vai, desabar...
fio-dental de cego é relâmpago

Belmira...AV. Transito