sexta-feira, 4 de abril de 2008

Memorando

Vive em mim cada momento, mesmo inconsciente,
mesmo que somente na pele como cicatriz,
cada futebol na rua, cada beijo escondido, cada amor ferido.

O primeiro emprego, o primeiro acorde no violão,
o primeiro por do sol...
vive e só morrerá comigo.

Os amigos, os sonhos, as dores
são e foram elementos vitais
e no mais sou o que posso,
desde que acordei e
não pude mais ser criança.

Já não estavam ao meu lado
Gilberto, Jú, Bruno, Palitão...
O Tempo tratou de colocar
cada qual no seu caminho,

sem rancores só saudades
e por falar em saudades,
por que não escrever novas estórias?
Por que não usar a memória contra um futuro nostálgico e sem cor?

Precisamos urgentemente dividir nossas humanidades,
quero reviver vivendo de novo,
novas angústias, novas felicidades.
Faz falta na nossa falta o pedaço de bolo delicioso
que deixamos de comer juntos.

Agora tomo cerveja com quem ficou,
tomo banho de mar com quem resistiu ao tempo
e prefere lavar a alma ao lacrimejar os olhos.

Saiba tenho novas verdades, novos quereres,
mas ainda tenho muito do que fui,
apesar de saber que amanhã terei mudado,
por isso amigo, venha hoje!!!
E não se esqueça de trazer o passado...



dedico estas mal traçadas linhas à André Luis Pereira,
meu irmão, aquele que sempre resistirá ao tempo,
longa vida amigo!!

3 comentários:

André disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
André disse...

Seria engraçado se não fosse triste!
Queria resalvar, que talvez não seja tão longa nossa vida, mas que enquanto vivermos estaremos ai...pra um copo de breja, uma ida ao hospital ou simplismente um forte abraço...por isso deixo um convite aqueles que se perderam à refazer nossas historias...Valeu Meu velho!

Julieta ás avessas disse...

Teus sonhos ainda vivem em mim!