quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Virtualidade Real

Nos undergrounds mentais residem
a força e a inteligência miserável
que me constituem como ser.

Me esforço para acreditar na sapiência mendiga
que me aprova o existir.

Caminhando na noite tateando a realidade,
o perfume do asfalto, os pensares fugidios...
Os cães vadios que guardam meu instinto
instigam sensações que eu deveria
manter longe da reflexão.

Mas ouso a mistura, impura e lírica,
dos lixões da quebrada às fadas da lua.

2 comentários:

Drika Cardoso disse...

A cada poema lido, a sua voz fica em minha mente que se tivesse recitando-os.

Abraços sempre abraços.

Maré Alta disse...

Daniel!De onde saia tanta coisa?