quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Quantos poemas são necessários para se escrever um livro...

Hein? Quantos?
Devo ter uns 30, mas ainda acho que é pouco.
Será que devo me dedicar mais? Será que devo plantar uma árvore antes? Fazer um filho?

Se um dia eu publicar um livro, será que ele será mesmo público?
Será que preciso entender de métrica ou saber o que é prosopopéia?
Acho que pra ser bom tem ser espontâneo.
Mas como escrever um livro espontaneamente?
Será que pra ser bom tem mesmo que ser grande? Com muitas páginas e sem ilustração?

E se gostarem de minha poesia terei de escrever sempre?
Terei de ganhar dinheiro com isso?
Será que vão aclamar minha escrita sem forma e sitar minhas frases nas salas de aula?

E se a árvore que plantei morrer?
E se meu filho nåo gostar de mim?
Terei que queimar meus livros já escritos e só escrever outro quando fizer outro filho e plantar outra árvore?

Ou será que estou divagando demais e nem minha mãe daqui a uns 10 anos lembrará que eu escrevia quando jovem?
Será que escreverei aquele livro que mofará na prateleira de uma biblioteca sem que ninguém o tenha lido?
É, talvez minha mãe leia ou meu melhor amigo,
mesmo que seja só pra dar um sorrizinho de canto de boca e dizer:
=Legal...rsrsrs

Penso que pode ser tudo isso
e pode não ser nada.
Pode ser que apenas nenhuma editora queira publicar?
E assim sendo eu tenha que fazer aqueles livrinhos caseiros que os cabeludos vendem em centros culturais.

Será que o falo em meus poemas fazem sentido?
Será que alguém se identificará com minhas angústias?
Se não também, QUE SE FODA, eu só escrevo pra aliviar as tensões que são minhas e são de direito!!
Será que vale a pena escrever um livro de tensões?
Que nome teria?
Ah!! Não sei...

Um comentário:

Lê Moura disse...
Este comentário foi removido pelo autor.