sábado, 14 de março de 2015

Sem tempo pra ser artista

Por um instante fiquei preocupado ontem com uma idéia que tive...
Pensei se devia escrever ou não pra não esquecer. Passou.
E a única coisa que tenho certeza no momento é que não fez falta deixar de ter registrado.
A poesia que eu deixei de escrever, o filme que eu deixei filmar, a tese que eu deixei de erigir sobre o nada e sobre o tudo, não são mais importantes que andar de bicicleta na chuva, não são mais importantes que o beijo da criança.
Se penso em movimentar o mundo, que eu não me deixe de mundiar pra que o movimento do amor se faça em mim.
Teria sido lindo o filme que eu não fiz, o poema que não escrevi, teria talvez ganhado muitos prêmios minha tese sobre o amor como a única teoria de tudo possível, mas o cangote de minha nega esperava um cheiro que só eu podia dar, e as teses, filmes e poemas muitos outros poderiam pensar.
O futebol com meus filhos ninguém jogaria melhor que eu, o bom dia pro meu vizinho ninguém faria melhor que eu.
Talvez não tenha tenha tido grandes idéias, por que estava muito ocupado vivendo-as.
Ou simplesmente por que não tinha papel na hora, ainda bem!